A Escola

A Escola

lacanUma perspectiva através da qual a história da construção da psicanálise pode ser lida diz respeito às suas cisões e ao estabelecimento de diferenças. Freud nos dá o testemunho do quanto lhe custou a descoberta revolucionária de uma “outra cena” psíquica, onde o conceito de inconsciente prosperou, sempre fundada na observação obstinada dos fatos clínicos. Foi, também, através da evolução de uma técnica de intervenção que os fundamentos da psicanálise puderam ser demonstrados, técnica cuja hipertrofia e desvios marcaram a prática analítica após sua morte. Boa parte do ensino de Lacan foi dedicada a restaurar o “sentido de Freud” que assim arriscava se perder. Sua inovação teórica, seu paradigma fundamental, modificaram profundamente a práxis analítica, tendo como conseqüência inevitável a reinvenção de dispositivos que dessem conta não só da transmissão da doutrina como da formação do analista. Como conseqüência lógica desse ensino, a fundação, por Lacan, da Escola Freudiana de Paris em 1964 não foi somente um acontecimento histórico dentro do movimento psicanalítico internacional, mas a criação de um campo  onde  a doutrina psicanalítica pudesse prosperar em bases inovadoras e a formação do analista pudesse se dar em consonância com essa doutrina. Neste sentido, é impossível hoje pensar Freud sem Lacan e vice-versa e a morte de ambos nos deixa a herança fundadora do pai simbólico, que legitima a práxis de uma Escola.

A Escola Lacaniana de Psicanálise - Brasília, por mais de duas décadas de trabalho, pretende levar adiante a tarefa de reinvenção da psicanálise, acompanhando os passos de seus fundadores. O compromisso ético de seus membros é trabalhar pela construção de dispositivos que dêem conta da complexidade das duas vertentes principais que compõem a proposta de Lacan: a psicanálise em intensão, em nível privado, com seus avatares próprios, neles incluída a psicanálise-controle (supervisão) e psicanálise em extensão, única base possível para motivar uma Escola e que funda suas raizes na experiência analítica. É da dialética dessas duas vertentes, intensão e extensão noduladas, que emerge o “autorizar-se por si mesmo e por alguns outros", axioma que marca a formação do analista  e que dá ao significante Escola seus fundamentos. 

Acompanhe-nos

Receba notícias da Escola

Contato

Endereço:
SEPS 714/914, Ed. Porto Alegre, Sala 228,  Brasília/DF - 70390-145 - Clique aqui e saiba como chegar.
Telefones:
+55(61)99982-4986 / 99976-5818 / 99654-5034 / 99272–5005 / 3242–5615 / 3345–0169